• Transportadoras estão à procura de motoristas

  • Vinícius Carvalho - Especial para O Diário

As empresas de transporte de cargas encontram dificuldade em contratar motoristas capacitados. A afirmação é do coordenador técnico do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Maringá (Setcamar), Geasi Oliveira de Souza.

Ele garante que existem centenas de vagas abertas no município, mas falta profissional qualificado para a função.

¿Muitos candidatos têm vontade, mas não têm a formação e a qualificação necessárias¿, conta.

Só na Agência de Trabalhador há 50 vagas para motorista de caminhão, mas a maioria dos candidatos é reprovada pela avaliação preliminar das empresas.

¿Algumas transportadoras mantêm caminhões parados por falta de condutor¿, afirma Souza.

Os motivos da falta de profissionais são a alta rotatividade da categoria, a oferta elevada de trabalho e a expansão da economia de Maringá e região.

Contratar um empregado sem habilidade coloca em risco o alto investimento das empresas. Um conjunto completo de transporte de carga, incluindo o cavalo mecânico e uma carreta custa, em média, R$ 500 mil.

¿É muito arriscado entregar um patrimônio desses para uma pessoa sem qualificação¿, alerta Souza.

O presidente do Grupo G10, Cláudio Coelho Adamucho, afirma que existem 50 vagas para motorista na companhia. A frota do grupo é de 500 conjuntos de carga e a empresa busca motoristas experientes de outras regiões.

Para atrair e fixar os profissionais, o G10 oferece plano de saúde, bônus por produtividade, vale-alimentação, seguro contra acidentes e bônus anual para motoristas que permaneçam na empresa.

¿Essas medidas amenizam nosso problema, porém há ainda muitas vagas para serem preenchidas¿, revela.

Os melhores candidatos que chegam ao G10 são encaminhamos para um local onde terão aulas práticas e teóricas. O centro de treinamento da companhia foi criado também para atualizar os motoristas que estão há anos no mercado, mas encontram dificuldade em dirigir um caminhão moderno, com comandos eletrônicos.

O curso de aperfeiçoamento dura uma semana. Em um estágio mais avançado, o motorista passa trinta dias com o acompanhamento de um master driver, um caminhoneiro mais experiente, que ensina como se dirige durante o dia e à noite, com o veículo carregado, sem carga e em outras situações da profissão.

Para concorrer a uma das vagas da região de Maringá, o candidato precisa ter carteira de habilitação na categoria E, ter cursado até a 4ª série do Ensino Fundamental e ter pelo menos dois anos de experiência rodoviária, mesmo com veículos leves, como ônibus e caminhões de pequeno porte.

Veja também

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.


Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 26
  • 29
  • 34
  • 38
  • 50
  • 60

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.