• Citrato de sildenafila vende mais do que Viagra

  • Luiz de Carvalho

Apesar de apresentar resultados semelhantes, um comprimido contra a impotência sexual chega a custar seis vezes e meia a mais do que o concorrente nas drogarias de Maringá. As diferenças de preço, no entanto, não espanta os clientes e todas as marcas "vendem bem e a procura é cada vez maior", garantem os balconistas de farmácias. O Viagra, primeiro e mais famoso deles, custa o dobro do genérico Citrato de sildenafila, mas nem um nem outro está entre os mais caros.

No início da semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou um estudo onde compara o custo de dez produtos, usando os preços máximos de venda e a alíquota de Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços (ICMS) de 18%. Nesta quinta e sexta-feira, a equipe de reportagem de O Diário fez uma pesquisa junto a drogarias de Maringá levando em conta o preço de um comprimido de cada marca.

O estimulante mais barato em uma busca em cinco farmácias, sendo três delas pertencentes a grandes redes, foi o Viasil (Citrato de sildenafila). Em um estabelecimento da Avenida São Paulo, no Centro da cidade, o comprimido custa R$ 8. Na Vila Operária, o medicamento sai por R$ 9. Já a marca Citrato de sildenafila, apontada pelos farmacêuticos como o principal genérico do Viagra, variou entre R$ 8 e R$ 10, sendo o segundo mais em conta na cidade.


Efeitos

Em três das cinco drogarias que concordaram em listar os preços, os balconistas informaram que o Citrato de sildenafila é o mais vendido, porque os usuários levam em conta o preço e o fato de ser o genérico do Viagra. Em uma farmácia da Avenida Pedro Taques, no Jardim Alvorada, o Citrato de sildenafila vende mais do que todas as demais marcas juntas.

No levantamento de O Diário, o comprimido mais caro foi o Vivanza, que em uma farmácia custa R$ 53, a unidade. Em outro estabelecimento, o medicamento foi encontrado a R$ 42,50. Tanto os farmacêuticos quanto os urologistas esclarecem que o produto é o mais caro que os concorrentes por oferecer efeito prolongado. Enquanto os demais prometem ereção entre seis e oito horas, o Vivanza ganha fama por garantir ao homem até 36 horas de condições para manter relações sexuais.

Os remédios que garantem ereção do membro masculino surgiram no mercado há pouco mais de 12 anos. O pioneiro é o Viagra, que logo no primeiro ano vendeu 1 bilhão de dólares e se tornou no grande sucesso da indústria farmacêutica das décadas mais recentes. Na época do lançamento, no entanto, o comprimido era caro demais (chegava a custar R$ 50, a unidade) e virou alvo de críticas, por causa dos efeitos colaterais. Com o vencimento da patente, em 2010, o Viagra enfrentou a concorrência dos genéricos e similares e o preço caiu.


Pramil

Um dos estimulantes mais usados, no entanto, não é encontrado em farmácias, pelo menos é o que os farmacêuticos garantem. Comprado no Paraguai e distribuído na cidade por pessoas que contrabandeiam produtos do país vizinho, o Pramil pode ser comprado em cartelas de vinte unidades por cerca de R$ 25, mas como não tem registro no Brasil toda a venda por aqui é clandestina.

Com a fama de prolongar os efeitos esperados, o "viagra paraguaio" pode levar o usuário a fazer feio na cama, pois, como qualquer outro produto contrabandeado, há grandes possibilidades de ser falsificado.


PREÇOS LEVANTADOS PELA REPORTAGEM

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.

Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 4
  • 17
  • 38
  • 9
  • 18
  • 21

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.