• É primavera. As abelhas fazem a festa em Maringá

  • Carla Guedes

A florada das árvores em setembro, início da primavera, aumentou o trabalho das equipes da Prefeitura que fazem a retirada dos enxames em Maringá. No mês passado, o setor de apicultura recebeu 421 pedidos para o serviço; média de 14 ligações por dia; o triplo de solicitações em relação a anos anteriores. Do total de requisições, 284 foram atendidas ¿ média de nove coletas diárias.

O gerente de apicultura, arborização e roçada da Secretaria de Serviços Públicos, Claudemir Celestino, explica que, por ter sido um setembro atípico ¿ com volume de pedidos acima do normal ¿ os trabalhos foram organizados por prioridade, mas garante que todas as solicitações serão atendidas.

¿Estamos retirando primeiro os enxames soltos, que ainda não se instalaram nos quintais. Depois, coletamos os enxames que já estão instalados porque eles não oferecem tanto risco à população¿, diz. ¿Fomos surpreendidos com o volume de solicitações para retirada dos enxames.¿

Segundo levantamento feito pela Secretaria de Serviços Públicos, o número de pedidos para a retirada de colmeias, durante o mês de setembro, não passava de 130, mas, neste ano, os pedidos aumentaram 200%. A zootecnista Lucimar Pontara Peres, professora de Apicultura da Universidade Estadual de Maringá (UEM), explica que, em setembro, a disponibilidade de alimento é maior e as temperaturas começam a aumentar, fazendo com que as abelhas se multipliquem.

Depois de coletados, os enxames são transportados ao apiário municipal. De lá, os insetos são repassados para a UEM, que desenvolve pesquisas, e para apicultores. O mel é doado para entidades assistenciais.

A professora lembra que o extermínio das abelhas é proibido. Lucimar esteve recentemente em um congresso na França, no qual foi discutido o desaparecimento das abelhas. ¿Nos Estados Unidos, em alguns estados, 80% dos enxames sumiram¿, afirma. ¿O mundo está preocupado com o desaparecimento desses insetos porque eles são o principal agente polinizador das espécies vegetais.¿

A Prefeitura traçou o mapa com os locais de maior incidência de enxames e observou que as colmeias estão concentradas no Jardim Alvorada e na Vila Morangueira. A abelhas procuram abrigo em assoalhos e beirais de imóveis, churrasqueiras, antenas de TV, armários, malas e pneus velhos, mas a professora Lucimar aponta que está havendo mudança nos locais de moradia. ¿As abelhas estão procurando ambientes abertos, como sacadas e copas de árvores.¿

Essa mudança é influenciada por questões ambientais, principalmente pela elevação da temperatura. ¿O ambiente está mais quente e os insetos, que são delicados, sentem o descontrole térmico, mesmo que seja mínimo, de um grau a mais, por exemplo.¿

Segundo a secretaria, entre janeiro, fevereiro e março são registrados de 90 a 120 pedidos de moradores para a coleta de enxames. Em abril, o número cai para 60. Em maio, chega a 25.De junho em diante, os pedidos aumentam.

Veja também

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.

Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 15
  • 16
  • 18
  • 20
  • 22
  • 48

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.