• Brasil conquista medalha de ouro inédita nas argolas

  • Redação

O ginasta brasileiro Arthur Zanetti conquistou uma medlaha de ouro inédita para o Brasil na manhã desta segunda-feira (6), em . O atleta venceu a prova de argolas das Olimpíadas 2012. Zanetti é estudante na Universidade Municipal de São Caetano do Sul, tem 22 anos e 1,56 m.

Este é o segundo ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres e a primeira medalha na história da modalidade para o País.

 

www.london2012.com

Zanetti ficou com nota 15.900 e deixou para trás o campeão olímpico e tetracampeão mundial do aparelho, o chinês Chen Yibing, que ficou com a prata.

 

O Brasil nunca havia conseguido uma medalha olímpica, apesar de ter ido como favorito em algumas provas em Atenas 2004 e Pequim 2008.

Zanetti despontou para o cenário internacional ao conquistar a medalha de prata no aparelho no Mundial de Tóquio, no ano passado. No Pan de Guadalajara, quando era o favorito, acabou com outra prata e ficou com um gosto de decepção na boca, mas sabia que o seu principal momento viria em Londres.

Confira como foi a apresentação

Zanetti tornou-se nesta segunda-feira não apenas o primeiro brasileiro a ganhar uma medalha olímpica na ginástica, mas também o primeiro a ser campeão. Com grande responsabilidade nos seus ombros, depois de tantos fracassos de seus compatriotas nos Jogos de Londres, ele foi o último a se apresentar na final das argolas na ginástica artística e não decepcionou. Tirou nota 15.900 e superou o chinês Yibing Chen para faturar o ouro.

O chinês, cinco vezes campeão mundial, foi o primeiro a se apresentar na primeira final desta segunda-feira e teve um desempenho dentro do esperado, com nota 15.800, exatamente o que lhe deu o título do último Campeonato Mundial, em Tóquio. Quando Zanetti se apresentou, sabia que tinha que superar essa nota.

Último a competir, o brasileiro ainda precisava de uma nota melhor que os 15.733 pontos do italiano Matteo Morandi para ficar com a prata e mais que os 15.666 pontos do russo Aleksandr Balandin para ganhar o bronze.

E ele foi perfeito na sua apresentação. Sem nenhuma falha, deixou para os árbitros a decisão. E eles lhe deram uma pontuação total de 15.900, que significava a tão esperada e sonhada medalha de ouro. Prata para a china, bronze para a Itália.

A medalha é a primeira da ginástica brasileira, seja masculina ou feminina, artística, rítmica ou de trampolim. E ela encerra uma série de decepções de ginastas do Brasil na modalidade, especialmente com Diane dos Santos e Diego Hypolito.

Histórico

Arthur Zanetti chegou à seleção brasileira em 2007, aos 17 anos, mas ficou por muito tempo à sombra de Diego Hypolito. Dois anos depois, foi à final das argolas no Mundial de Londres, na mesma North Greenwich Arena onde foi campeão olímpico nesta segunda-feira. Naquela competição de 2009, terminou no quarto lugar, com 15.325 pontos - 6.500 de nota de saída e 8.750 de execução.

Ele só voltaria aos holofotes exatamente dois anos depois, novamente em um Campeonato Mundial. Vindo de uma medalha de ouro na Universíade de Shenzhen, ele repetiu a nota que obteve na China também em Tóquio, 15.600 pontos, e só ficou atrás do chinês Chen, que foi 0.200 melhor.

O resultado no Mundial de Tóquio garantiu a Zanetti a sua primeira participação olímpica. Isso porque a China foi campeã por equipes e garantiu a presença de Chen nos Jogos. Com isso, a vaga destinada ao melhor das argolas sobrou para o brasileiro.

Classificado para a Olimpíada, ele tratou de melhorar a nota de partida da sua apresentação, de 6,5 para 6,8. Com esses 0.300 pontos extras, foi evoluindo competição a competição em 2012. Ele começou o ano sendo campeão do Pré-Olímpico, em janeiro, também na North Greenwich Arena, com nota 15.333, ainda com a série antiga.

Depois, em etapas da Copa do Mundo, ganhou prata em Cottbus (Alemanha), com 15.600 pontos, e a partir da estreia da nova série, não perdeu mais: foi campeão em Osijek (Croácia), com 15.875, em Maribor (Eslovênia), com 15.575, e em Ghent (Bélgica), com 15.925.

Na fase de classificação dos Jogos de Londres, escondeu o jogo. Apresentou uma série alternativa, de nota de partida 6,5, e teve a quarta melhor pontuação geral: 15.616, ficando atrás do chinês, do italiano e também do russo. Depois, explicou que foi tudo planejado, porque era melhor para ele não ser o dono da melhor nota na final.

Já o chinês tirou 15.858 na eliminatória e se classificou em primeiro. Assim, foi o primeiro a se apresentar na final, marcando 0.058 a menos do que na classificação e jogou para os demais sete ginastas a responsabilidade de o superarem. Não esperava que Zanetti fosse fazer isso.

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.

Últimas notícias de Olimpíadas

Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 2
  • 6
  • 18
  • 23
  • 31
  • 46

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.