• Atenção às alterações na mama

  • Graziela Castilho

Recentemente, a apresentadora da Rede Globo Fátima Bernardes contou em seu blog a experiência cirúrgica que sofreu no seio para retirada de ductos mamários dilatados.

Ela disse que observou algumas manchinhas quase transparentes no sutiã. Assustada, procurou a ginecologista e, depois de vários exames, foi encaminhada a um mastologista que detectou um problema benigno, mas que deveria ser extraído.

O mastologista Marcelo Philip Leonardo, de Maringá, explica que toda mulher tem ductos mamários. Em alguns casos, como o da Fátima
Bernardes, acontece descarga papilar, que é quando sai o líquido da mama. Na maioria das vezes, segundo Leonardo, as causas são benignas.

"Só é preocupante quando o líquido é expelido espontaneamente por um único ducto, em apenas uma das mamas, com coloração sangüínea ou como água mineral", garante Leonardo. Nesses casos, é preciso fazer investigação com exames para excluir a possibilidade de alguma lesão na região.

"Quando a secreção é amarelada e sai das duas mamas quando apertadas, não há problemas", afirma. Entre as principais alterações benignas nas mamas estão: cistos, nódulos, dor mamária, alteração nos ductos e infecção. "Na maioria dos casos há tratamento eficaz", declara o mastologista.


Maligno


No entanto, os casos de câncer de mama ainda são os mais preocupantes, já que, de acordo com o especialista, é a principal causa de morte em mulheres entre 40 e 55 anos de idade.

Além disso, o tratamento cirúrgico, hoje um dos principais recursos para o controle do câncer de mama, ainda está em evolução. "Mesmo assim, a cirurgia somada à quimioterapia e à radioterapia, que são complementares, tem apresentado resultados animadores", comenta.

Leonardo explica que, para realizar o tratamento, cada caso é avaliado separadamente com base em fatores como o tipo e o tamanho do tumor inicial, o tamanho da mama afetada, a idade da paciente, presença de gânglios exilares positivos ou sinais de metástase e a possibilidade de tratamento complementar.


Exames

?Mamografia: principal exame. A partir dos 40 anos deve ser feito anualmente. Em casos de histórico familiar ou problemas nas mamas antes dessa idade, é indicado o rastreamente mais precoce;

?Ultra-som: complementa a mamografia e é o principal exame para pacientes jovens;

?Ressonância nuclear magnética: complementa os exames convencionais em casos específicos, como em suspeita de reincidência de câncer;

?Auto-exame: além de apalpar, a mulher deve observar possíveis mudanças no aspecto da mama. Com esse método, a mulher pode identificar nódulos na mama ou na região axilar, inversão do mamilo, secreção, mudança na coloração da pele, retração, entre outros.

O portal odiario.com reserva-se o direito de não publicar comentários de conteúdo difamatório, calunioso e ofensivo. Os comentários não autorizados ficarão visíveis somente para os contatos/amigos da rede social do autor.

Últimas notícias de Saúde

Publicidade

Publicidade

Shopping

Anuncie nos classificados de O Diário

Pague com:

Loterias

  • Números sorteados
  • 57
  • 23
  • 38
  • 13
  • 34
  • 27

Publicidade

Aviso importante: A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal odiario.com não é permitida e, caso se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria com odiario.com para reproduzir nosso conteúdo, entre em contato pelo e-mail parceria@odiario.com.

odiario.com 2010 © Todos os direitos reservados à Editora Central Ltda - O Diário do Norte do Paraná. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.